.

Slider

Como escolher um saco de dormir?

Mais do que apenas uma cama, o saco de dormir irá protegê-lo durante uma noite na natureza. Sentir frio no meio da noite ou mesmo morrer de calor a ponto de não deixá-lo dormir não significa que você não comprou um bom saco de dormir mas, sim, que você comprou o saco errado...

Por ser um item fundamental, o cuidado na escolha é imprescindível. E, para isso, você precisa levar em consideração uma série de detalhes e dicas, que listamos abaixo. Mas, antes disso, é importante que você considere como pretende usar seu equipamento, em que ocasião e situação etc. Vai acampar perto do carro? Irá usá-lo em acampamentos selvagens e, portanto, precisará carregá-lo dentro da mochila? Você só acampa em praias e em lugares quentes? Precisa de um equipamento ‘multi-funções’, que vire um edredon na casa de praia ou quer um saco de dormir que suporte temperaturas negativas?

Antes de comprar um saco de dormir, uma boa regra é pensar na noite mais fria que você deverá enfrentar e, então, desça uns 5 graus centígrados. Lembre-se que é mais difícil se manter aquecido em um saco de dormir fabricado para temperaturas mais quentes do que se refrescar em um saco de dormir para temperaturas mais frias – um zíper totalmente aberto costuma resolver este problema em questão de segundos.

Algumas situações de uso do saco de dormir:

Camping - por estar muito próximo do carro, o peso e o volume não são significativos, podendo escolher modelos que ofereçam mais conforto, como os retangulares que, abertos, viram um grande edredon.

Trilhas - serão carregados na mochila por trilhas que podem exigir de um a vários pernoites.

A relação volume x peso deverá ser bem menor que o equipamento usado no camping.

Expedição - além de serem carregados na mochila, exigem uma alta performance e serão escolhidos de acordo com a região a ser visitada, podendo variar entre -15oC a -50oC (top de linha no mundo, com pouquíssimos usuários. Estes equipamentos só são utilizados nas regiões dos pólos. Nem mesmo o Everest exige saco tão potente).

Detalhes a serem considerados, antes de comprar um saco de dormir:

1 - Formato – existem dois formatos principais de sacos de dormir:

a - Camping – são os retangulares. Costumam abrir inteiramente, se tornando um edredon. Alguns vêm com capuz, o que facilita em lugares mais frios mas, em geral, são sacos para lugares quentes, pois a abertura maior deixa escapar o calor com mais facilidade. Para quem é um pouco claustrofóbico ou se mexe muito durante a noite, estes modelos são os mais indicados.

b - Múmia – acompanha o formato do corpo e aquece melhor, além de ser mais leve e compacto. Todos os sacos deste tipo, da Trilhas & Rumos, possuem zíperes e permitem transformá-lo em saco de casal (tenha certeza de ter comprado sacos com zíperes colocados em lados opostos, para que possam se unir). Alguns vêm com fitas compressoras para diminuir o tamanho quando guardados.

2 - Temperatura – Além do nome, o que difere os modelos é a temperatura mínima na qual ele permite que você durma confortavelmente dentro dele – isto não é uma ciência exata e você só verá efetivamente a diferença entre sacos do mesmo fabricante. Aguns fatores devem ser levados em consideração, como o cansaço, a presença de vento, a fome, a umidade e fatores pessoais, já que existem pessoas calorentas e friorentas (em geral pessoas com menor pressão sanguínea e gordura corporal tendem a sentir mais frio).

As temperaturas indicadas na embalagem do saco de dormir dão uma medida do conforto, mas é preciso sempre considerar alguma margem, podendo afirmar que nossas indicações servem para cerca de 80% das pessoas, sempre lembrando que o uso de um colchonete isolante em conjunto é indispensável, pois o peso do corpo reduz a eficiencia isolante das fibras sob o peso do corpo.

Na embalagem a temperatura é definida como de conforto, tolerância e extrema. "Conforto" é a temperatura em que se sentirá bem no saco de dormir sem o uso de roupas muito pesadas.

"Tolerância" indica que seria necessário estar vestido com o mesmo tipo de agasalho que usaria ao ar livre, naquela temperatura (quando dormimos ou estamos inativos precisamos mais proteção ao frio). E "extremo" indica que é necessário o uso de agasalhos extras para se sentir ainda confortável na temperatura indicada dentro do saco de dormir. Procure deitar alimentado por uma refeição quente e você terá uma noite melhor. E, o mais importante, procure ter um saco de dormir um pouco além do que a temperatura mínima que você pretende enfrentar.

Se você usar o seu saco de dormir envolto por um cobertor ou um saco de alumínio de emergência, seu isolamento térmico melhora em até 5o C, protegendo-o também da umidade.

O cobertor de emergência é um acessório útil e de baixo custo que não deve faltar dentro das mochilas...

3 - Colar térmico e capuz – nós perdemos pelo menos 25% do calor pela cabeça e, para mantê-lo aquecido, nossos sacos de dormir possuem capuzes que fecham o suficiente para permiti-lo respirar mas não deixam o calor gerado pelo seu corpo sair. O colar térmico impede que o calor do corpo saia pela abertura na área do pescoço, mantendo seu corpo aquecido. Vale lembrar aqui que todos os equipamentos para frio não "fabricam" calor, mas têm a função de não permitir que o calor produzido pelo próprio corpo se dissipe mantendo, assim, seu conforto térmico. Estes itens costumam não existir em sacos de dormir retangulares, mas são fundamentais em sacos que agüentam baixas temperaturas.

4 - Costuras quentes – costuras podem ser uma importante forma de se perder calor, pelos micro furos feitos pela agulha. Assim, os sacos de dormir para temperaturas mais frias possuem costuras "desencontradas" entre a camada interna e externa, não permitindo a fuga do ar quente.

5 - Zipper – os zíperes devem ser fáceis de manusear e abrir para os dois lados. Lembre-se que você poderá ter de manuseá-los com luvas, em noites mais frias. Os sacos de dormir desenhados para temperaturas mais baixas terão uma ‘aba’ entre seu corpo e o zíper, para não permitir que seu calor saia por ali.

Institucional

Utilidades